CADA POEMA É UM FRAGMENTO DO POEMA GERAL QUE QUINTANA VEIO COMPONDO
DURANTE TODA A SUA VIDA

quinta-feira

A CIRANDA RODAVA


FOTO DANIEL DE ANDRADE SIMÕES

Mario Quintana tem cinco livros de poemas para a infância que foram publicados no livro “Poesia Completa”. Destes, somente "O Batalhão das Letras" e "Pé de Pilão" são compostos exclusivamente de poemas inéditos, os demais resultam do agrupamento de poemas anteriormente publicados em outros livros, com alguns poucos que ali se editaram pela primeira vez. Poemas para a Infância é composto de 5 livros: Batalhão das Letras (1948), Pé de Pilão (1978), Lili Inventa o Mundo(1983), Sapo Amarelo (1984) e Sapato Furado (1994). Também já vi contestações de que com excessão de “Pé de Pilão” e “Batalhão das letras” os outros livros sejam realmente voltados para a infância. Quem responde a essa questão é o próprio Quintana em “Sapato Furado” onde ele manda um recado pros leitores a partir dos dez anos: “Eu já escrevi o Sapato florido. Como, porém, nesta vida nem tudo são flores, apresento-vos agora o Sapato Furado, que tem grande significação, pois o seu texto foi escolhido exclusivamente pelos leitores a se destina a gurizada a partir dos dez anos...” (QUINTANA, 2005, p. 974).

Ai vai portanto um poema de Quintana destinado ao público que ele mais gostava:

A CIRANDA RODAVA


A ciranda rodava no meio do mundo,
No meio do mundo a ciranda rodava.
E quando a ciranda parava um segundo,
Um grilo, sozinho no mundo cantava...


Dali a três quadras o mundo acabava.
Dali a três quadras, num valo profundo...
Bem junto com a rua o mundo acabava.
Rodava a ciranda no meio do mundo...


E Nosso Senhor era ali que morava,
Por trás das estrelas, cuidando o seu mundo...
E quando a ciranda por fim terminava


E o silêncio, em tudo era mais profundo,
Nosso Senhor esperava ... esperava...
Cofiando as suas barbas de Pedro Segundo.

Um comentário:

Leca disse...

Parabéns pelo blog...adorei e vou seguir...
Admiro muito as inspiradas palavras de Mario Quintana...
Beijo
Leca