CADA POEMA É UM FRAGMENTO DO POEMA GERAL QUE QUINTANA VEIO COMPONDO
DURANTE TODA A SUA VIDA

quarta-feira

DATA E DEDICATÓRIA

Este poema dedico à minha amiga Tais Luso, cujo blog de mesmo nome,  a muito tempo acompanho. Em seu último comentário sobre o poema de Quintana "O Velho Poeta" Tais comentou: "sinto falta da data nas postagens". Pois bem querida amiga, a culpa é toda do Mario que nos deixou a seguinte observação e como não poderia deixar de ser em versos, e que versos.

DATA E DEDICATÓRIA

Teus poemas, não os dates nunca...Um poema
Não pertence ao Tempo... Em seu país estranho,
Se existe hora, é sempre a hora extrema
Quando o Anjo Azrael nos estende ao sedento
Lábio o cálice inextinguível...
Um poema é de sempre, Poeta:
O que tu fazes hoje é o mesmo poema
Que fizeste em menino,
É o mesmo que,
Depois que tu te fores
Alguém lerá baixinho e comovidamente,
A vive-lo de novo...
A esse alguém,
Que talvez nem tenha ainda nascido,
Dedica pois teus poemas.
Não os dates porém:
As almas não entendem disso...

Mario Quintana in: Baú dos Espantos

Um comentário:

Tais Luso disse...

rss, tá bom, amigo, você sempre me convence! É claro, entende tudo de Mario Quintana! Quando preciso de algo, venho ao seu blog, aqui sei que encontro o certo.
Obrigada por essa postagem!

Abraço.