CADA POEMA É UM FRAGMENTO DO POEMA GERAL QUE QUINTANA VEIO COMPONDO
DURANTE TODA A SUA VIDA

sexta-feira

O VELHO POETA

Amanhã (22 de março) completo 62 anos. Meu tempo está terminando. Não tem mais graça comemorar aniversários após os sessenta. Milhões de pensamentos veem em turbilhão e a sensação de que a vida se exauri toma presença mais forte. Recorri ao meu amigo Mario, que já se foi mas deixou uma obra vasta e eterna. Sim a boa poesia, como a boa música é eterna. Encontrei esta joia rara. Não é preciso comentar nada, basta ler e fechar os olhos. Obrigado amigo Quintana.

O VELHO POETA

Um dia o meu cavalo voltará sozinho
E assumindo
Sem Saber
A minha própria imagem e semelhança
Ele virá ler
Como sempre
Neste mesmo café
O nosso jornal de cada dia
inteiramente alheio ao murmurar das gentes.

Chalé da Praça XV (Porto Alegre), onde Mário ia todas as tardes comer dois quindins e tomar seu café, com a presença obrigatória do jornal do dia. Na foto acima o chalé hoje, em baixo com a presença de Mario lendo seu jornal.


Um comentário:

Tais Luso disse...

Olá, amigo Bernardo, deixo aqui um grande abraço!
Continuo visitando seus blogs, sempre excelentes!

(sinto falta da data nas postagens!)