CADA POEMA É UM FRAGMENTO DO POEMA GERAL QUE QUINTANA VEIO COMPONDO
DURANTE TODA A SUA VIDA

sexta-feira

MARIO QUINTANA, PÉ DE PILÃO...E EU. (Érico Veríssimo)

Edgar Koetz

“Ser poeta é saber ver o mundo como o vêem os anjos, as fadas, e ao mesmo tempo possuir o dom de comunicar a quem o lê o que ele vê e sente”... Erico Veríssimo escreveu esta frase ao se referir a Mario Quintana como um dos cinco maiores poetas do Brasil.
No dia do aniversário do poeta nada melhor que ler este comentário de Érico Veríssimo ao livro PÉ DE PILÃO que Mario publicou em 1975:

Meus amigos, na minha opinião Mário Quintana é hoje em dia um dos cinco maiores poetas de todo o Brasil. Pé de Pilão é um livro que ele escreveu para crianças de várias idades, mas que também pode – e deve! – ser lido por gente grande. Mas... como é que eu entro nessa história toda? Ora, eu não entro. Fico cá de fora da casa do livro, gritando para todos os ouvidos e a todos os ventos que o livro é bonito, divertido, faz a gente rir e querer saber “que é que vem depois...” Os desenhos são muito bons e foram feitos por um famoso artista, Edgar Koetz, , gaucho como o autor da aventura.
Desenho Edgar Koetz

Conheço Mario Quintana faz uns bons quarenta anos. É o sujeito mais “diferente” que tenho encontrado na vida. Antes de tudo é um poeta, e ser poeta não é apenas fazer versos, prosa com rima (carvão – coração...carinho-passarinho...etc...) Ser poeta é saber ver o mundo como o vêem os anjos, as fadas, e ao mesmo tempo possuir o dom de comunicar a quem o lê o que ele vê e sente, em resumo, é ter os olhos para revelar a face secreta das pessoas e das coisas. Mario Quintana é um homem que caminha sozinho, como aquele gato do conto inglês. Bom, vou revelar a vocês um segredo. Descobri outro dia que o Quintana na verdade é um anjo disfarçado de homem. Às vezes quando ele se descuida ao vestir o casaco, suas asas ficam de fora.
(Ah! Como anjo seu nome não é Mario e sim Malaquias.)
O Anjo Quintana - Henrique Rodrigues Pinto

Quintana é também mágico, só que suas mágicas são feitas com palavras. Agora, amigos, prestem atenção. Pé de Pilão foi feito todo em versos, isto é, com frases que tem compasso de música, e com rimas. Quem já souber ler, que leia este conto em voz alta e clara. Se não souber, peça a outra pessoa – mãe, pai, irmão ou irmã mais velha, baba, alguma titia... – que se encarregue disso. E, se durante a leitura por acaso aparecer na história alguma palavra que vocês nunca tenham visto antes, perguntem a quem sabe o que ela significa. É assim que a gente aprende sua própria língua... e a dos estrangeiros.
Pois é. Deixo com vocês o caso do Pé de Pilão, que se vai transformando, de verso em verso, no caso de outros personagens, bem como um rio que vai correndo para o mar e encontrando no caminho pessoas, animais e coisas que o leitor não esperava. Leiam esta história – ou escutem sua leitura – mais de uma vez. E se alguém um dia perguntar quem é Mario Quintana, podem responder sem medo de errar que ele é um dos maiores poetas do nosso Brasil. È isto que pensa quem gosta dele como de um irmão, um tal de
Érico Veríssimo
“Mas a infância, ó poetas, não é mesmo azul?
Quanto a mim, eu venho há muito desconfiando de que a infância é uma invenção do adulto.E o passado, uma invenção do presente. Por isso é tão bonito sempre, ainda quando foi uma lástima... A memória vai tudo colorindo”
Mario Quintana – Caderno H
foto Liane Neves

7 comentários:

Telma Monteiro disse...

Olá, Bernardo!

104 outonos quintanianos... Obrigada pela postagem tão interessante do Érico, não conhecia.
Atrevi-me também a postar uma singelíssima homenagem ao Quintana, no Benjamim e o Seu Jardim e no Lectus. Quando for possível, visite-me.
Abrç!

Quintana é para sempre disse...

Oi Bernardo,
Muito bem lembrado, o blog "Quintana é para Sempre" fez um ano no dia 9 de julho.
Vou fazer uma postagem para festejar, ainda dá tempo, estamos a 31 (rsss).
Bjs.
Estela

Claudinha Monteiro disse...

Lindo texto, o perfeito cruzamento de dois gênios...
Realmente, as boas palavras, as palavras que importam, são eternas...
bom fds.

Eloah disse...

Estive aqui,adorei seu Blog.Sou fã de Quintana.Adoro seus poemas onde o gênio do poeta se mistura na singeleza do cotidiano.Érico Veríssimo, um mestre reverenciando outro mestre.Parabéns pela escolha do texto.Um abraço Eloah

líria porto disse...

um e outro me comovem! olhai os mários do campo! e os éricos!
besos

(dei o pé de pilão para os sobrinhos, está na hora de comprar o da minha neta...)

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Veja aqui por favor:
http://coresepalavras.blogspot.com/2010/08/blog-da-semana-112010.html
Kandandu

Quintana é para sempre disse...

Oi Bernardo,
Eu tinha deixado um recado, mas parece que não entrou.
Obrigada pela lembrança do aniversário do blog. Obrigada pelo carinho.
Bjs. Estela