CADA POEMA É UM FRAGMENTO DO POEMA GERAL QUE QUINTANA VEIO COMPONDO
DURANTE TODA A SUA VIDA

sábado

Um dia acordarás



Um dia acordarás num quarto novo
Sem saber como foste para lá
E as vestes que acharás ao pé do leito
De tão estranhas te farão pasmar,
A janela abrirás, devagarinho:
Fará nevoeiro e tu nada verás...
Hás de tocar, a medo, a campainha
E, silenciosa, a porta se abrirá.


E um ser, que nunca viste, em um sorriso
Triste, te abraçará com seu maior carinho
E há de dizer-te para o teu assombro:


- Não te assustes de mim, que sofro há tanto!
Quero chorar - apenas - no teu ombro
E devorar teus olhos, meu amor...
Mario Quintana

5 comentários:

Japa ™ disse...

O Poema mais belo que estes olhos já viram, como diz sabiamente o amigo do blog, Quinta... Eterno!

Ps: este poema ele escreveu para uma amiga que lhe pediu um poema de amor...

Noeli Mendonça disse...

Li este poema quando era ainda adolescente. Hoje ao 46 anos ainda me lembro dele com emoção.É dos mais lindos que já conheci.

Flor Morena disse...

Quero também devorar teus olhos... magnífico...

Flor Morena disse...

Também quero devorar os teus olhos... lindo!

A mãe de Ruhama Cheang disse...

A primeira vez que li este poema foi num livro da Danielle Steel... Não sabia que era do Mário Quintana!