CADA POEMA É UM FRAGMENTO DO POEMA GERAL QUE QUINTANA VEIO COMPONDO
DURANTE TODA A SUA VIDA

terça-feira

QUINTANA - O DEIXADOR INQUIETO



Na postagem anterior (Aniversário de Mario Quintana) ele nos confessa textualmente " Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão". Pois bem o poema abaixo é uma prova disso. Nele Quintana se apresenta como um inquieto.  O deixador inquieto.

O Deixador
Eu tenho mania de deixar tudo para depois...
Depois a contagem das cartas a responder...
Depois a arrumação das coisas...
Depois, Adalgisa...Ah,
Me lembrar mais uma vez de romper definitivamente com Adalgisa!
Depois, tanta, tanta coisa...
Depois o testamento as últimas vontades a morte.
Só porque vai sempre deixando tudo para depois
É que Deus é eterno
E o mundo incompleto
Inquieto...
Só é verdadeiramente vida a que tem um inquieto depois!

Mario Quintana

Um comentário:

Tais Luso disse...

Parabéns e obrigada sempre, Bernardo, por esse seu blog que é uma linda homenagem ao poeta dos nossos sonhos e também da realidade!
Grande abraço!!!